Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A 3ª face

Seg | 28.05.18

Como eu poupo...na Cozinha

 

poupar cozinha.png

 

Há truques tão óbvios que nos passam despercebidos. Mas permitem-nos poupar na divisão da casa onde, provavelmente, mais gastamos.

É aqui que preparamos as refeições ou, pelo contrário, encontramos motivos para fazer gastos supérfluos no supermercado e na restauração.

Não sou eremita nem fundamentalista. Como a grande maioria das pessoas, gosto de ir a um restaurante e não resisto a ter algumas refeições ti-nó-ni (compradas no supermercado e guardadas no congelador, para saírem em SOS).

Todavia, adoptei alguns hábitos que me permitem poupar dinheiro, para além daqueles mais comuns e que já toda a gente ouviu falar. E, sem surpresas, confirmo que também contribuem para um consumo "desperdício zero" e uma redução da pegada ambiental: 

 

1 - Sempre que possível, uso a panela de pressão. O tempo e o gás que se poupam são evidentes!

 

2 - Abuso do jarro eléctrico: é o modo mais económico de aquecer água.

Mesmo para o balde da esfregona, deixo ferver e misturo com água fria. Já pensaram no desperdício de água quando utilizamos o esquentador ?

Quando cozinho alimentos que exigem água fervente (massa, arroz, legumes...), pré-aqueço a água no jarro e verto depois na panela. É mais rápido e económico.

 

3 - Os alimentos cortados em pequenos pedaços precisam de menos tempo e energia para cozerem. Por isso, quando confecciono sopas e purés, vão bem pequeninos para a panela.

 

IMG_20180507_185952.jpg

E tento colocar agua na medida estritamente necessária. Não precisamos de 1 litro de água para cozer uma batata. Quanto menor a quantidade, menor o tempo de cozedura.

 

4 - Faço sempre sopa em grandes quantidades. O consumo de energia é menor do que fazer pequenas quantidades de cada vez.

Congelo uma parte e vou intercalando com outras. E servem para SOS, quando algum contratempo me impede de fazer comida. Ou para a filha levar para Lisboa.

 

5 - As sobras (legumes, peixe, carne) não se desperdiçam. Fazem maravilhosas tortilhas, fazendo um prévio refogado com cebola, alho e muito pimento (verde  e vermelho para ficar bem colorido).  Depois misturo os ovos, acompanho com uma salada e já está!!

 

 6 - Cozo sempre as leguminosas em grande quantidade. Depois distribuo por frascos de vidro e congelo.

Poupo gás e evito comprar frascos no supermercado, quando preciso e não tenho tempo de demolhar.

 

7 - Tento ter sempre molho de tomate feito e congelado em frascos. Misturado com massa ou em cima de uma base de pizza, é a refeição mais rápida do mundo (e não compro no supermercado, desperdiçando dinheiro, embalagens e saúde).

 

8 - CAFÉ. Somos consumidores industriais.Como tenho máquina de cápsulas, gastava fortunas por mês.

Neste momento, gasto 2 €.

Optei por comprar cápsulas reutilizáveis e compro café moído só quando está em promoção!

 

9 - Compro especiarias e aromáticas a granel. Ou em lojas a granel ou mesmo em hipermercados, como o Jumbo.

E alguns, compensa comprar nos mercados locais. 

É sobretudo o caso escandaloso dos orégãos. O preço de um molho custa-me 5 € (terá pelo menos meio quilo) e dá-me para um ano. Um quilo de orégãos no hiper chega a custar 149 € ! (fechem a boca e vão lá confirmar)

E depois evito o desperdício de embalagens.

 

10 - Igualmente com o chá

É mais barato comprar em folhas do que em saquetas. 

E é DESPERDÍCIO ZERO!

Se tiverem um canteiro no jardim ou uma horta, plantem erva-príncipe e lúcia-lima. Não requer cuidados e têm chá o ano inteiro.

 

11- O uso do micro-ondas para fazer e aquecer refeições só compensa se for para uma ou duas pessoas. A partir daí, sai mais barato confeccionar tudo junto, no fogão!

 

12- No forno, os alimentos assam mais rapidamente em recipientes de pirex ou de cerâmica (estes materiais retêm mais calor), economizando tempo e energia.

      

13 - Não vos falo em aproveitamentos de cascas e vegetais porque a minha família tem hortas e animais de capoeira, que comem estes desperdícios.

Alerto-vos antes, para a poupança ao congelar vegetais, quando têm em excesso, para evitar que se estraguem.

Quase todos os vegetais podem ser congelados, passando por um prévio processo de branqueamento (consiste em lavar bem os alimentos e cortá-los em pedaços pequenos. Depois, colocá-los  numa panela de água a ferver e esperar até que a água ferva novamente com os vegetais dentro. Esperar 2 minutos e retirar os alimentos colocando-os de imediato num recipiente com água gelada e aguardar mais 2 minutos ou até os alimentos estarem completamente gelados. Escorrer a água e separar os vegetais em pequenas porções e congelar).

 

E uma última dica: têm familiares ou vizinhos com hortas e pomares? Ofereçam-se para ajudar na colheita. Vão ver que regressam a casa com a bagageira cheia...

 

E vocês, que dicas me poderão dar para enriquecer esta lista?

 

 

20 comentários

Comentar post