Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A 3ª face

Seg | 11.06.18

Como eu poupo...na Roupa

Aviso prévio:

Este post não é aconselhável a bloggers de moda

 

buy-1299519_960_720.png

 

Já tenho abordado o tema da roupa aqui no blog. Mas, lamentavelmente, para questionar a fast fashion, o desperdício e o impacto que a moda tem, actualmente, no ambiente.

Se já me estão a imaginar com uma túnica de linho e umas sandálias de couro, desenganem-se.

Eu gosto de roupa e de me sentir bonita, como qualquer outra mulher.

Apesar de, desde que me lembro de ser gente, detestar gastar muito dinheiro em roupa.

Não obstante, de vez em quando temos que comprar uns trapinhos, sobretudo quando temos filhos em crescimento.

E como é que eu tenho conseguido poupar na roupa?

 

1º) Trocar roupa usada: sempre emprestei a roupa dos meus filhos, que lhes deixava de servir, a amigos e familiares.

E sempre vesti o meu filho com roupa que herdou dos outros familiares (Com a minha filha não tive essa sorte, que foi a primeira da geração);

 

2º) Também tenho herdado roupa que deixa de servir às minhas amigas. E que a minha filha já não quer usar.

De igual modo, retribuo sempre que possível.

 

3º) Quando tenho que comprar, aproveito os saldos, seja em loja seja online. E costumava abastecer-me de peças básicas nos saldos, num tamanho maior, para os meus filhos vestirem na estação seguinte.

 

4º) No meu guarda-roupa, predominam as cores neutras e lisas . Sobretudo o preto e o branco. Dá para conjugar com tudo e não "cansa" sem dar a sensação de que estamos a usar sempre o mesmo.

 

5º) A roupa de desporto é comprada, sobretudo, na SportsDirect.com . Não tem a última colecção em roupa de desporto mas, por aqui, não nos fotografamos para o Instagram, pelo que conseguimos sobreviver sem o último grito da moda desportiva.

 

6º) Compro várias peças de roupa no Lidl, quando a qualidade e o corte me parecem bons. Depois, dou-lhes um toque pessoal para que se tornem diferentes e únicos (e, na verdade, também não me agrada a  ideia de andar igual a toda a gente que se junta no corredor das promoções às quintas-feiras de manhã).

Por exemplo, o macacão preto levou uma franja colorida no decote e, quando digo que comprei no Lidl, ninguém acredita:

 

IMG_20180610_153327.jpg

 

IMG_20180610_153408.jpg

Ou este poncho, que ficou com outra graça depois de ter cosido uma renda à volta.

IMG_20180610_153713.jpg

 

IMG_20180610_153744.jpg

 

7º) T-shirts lisas transformam-se em peças exclusivas, com alguns retalhos de tecido.

Com menos de 3 €, consigo personalizar t-shirts com as cores que quiser.

Já tenho dito que, para quem não sabe coser, a linha transparente (invisível) faz milagres, pelo que ninguém tem desculpas para não experimentar.

 

10268666_530445173726401_4820207189679155438_n.jpg

 

10359518_530444977059754_5745651692423591963_n.jpg

 

10382991_535618489875736_1606995077416886130_n.jpg

 

10406787_535618086542443_5537220330096317963_n.jpg

 

8º) Transformo.

Não sou costureira mas há coisas tão simples que eu consigo fazer, tal como qualquer um de nós.

Que tal o meu pareo de praia feito com uma echarpe do Lidl e uma franja de borlas?

 

Sem título.png

E as  minhas calças velhinhas mas super fashion, com um bordado de flores aplicado com a tal linha invisível?

 

20622432_4nRzq.jpeg

 

 9º) E, finalmente, apesar de gostar de poupar na roupa, tento não comprar peças com tecido de má qualidade, mesmo que o preço seja estapafurdiamente barato. Se não vai resistir a 3 lavagens, para quê produzir desperdício? 

Lá diz o velho ditado:

 

quem-se-veste-de-ruim-pano-veste-se-duas-vezes-por

 

 

 

18 comentários

Comentar post