Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A 3ª face

Sex | 13.12.19

Desafio dos Pássaros #14

 

Tema da semana: Não nasci para isto

 

egg-2502948_1280.jpg

 

Sem dúvida que entre uma loja e uma unidade de psiquiatria, não há grande diferença.

Cada cliente que entra na loja dos meus padrinhos parece ter uma pancada. Ora são demasiado simpáticos, ora nem abrem um sorriso. Ora se mostram indecisos sobre o que escolher, ora são tão teimosos que não admitem uma pequena sugestão.

 

Não me sai da cabeça a D. Mariana. Quando subiu o poial, já trazia a birra do filho presa pelo braço.

Vinha esbaforida com os gritos do miúdo. De tanto o levantar do chão, já tinha uma manga do casaco de malha quase pelo dobro.

Dentro da loja, a cena piorou. O fedelho esperneou, gritou e acabou por derrubar a caixa das gomas.

Até eu já estava a ferver!

 

A D. Mariana, vira-se e grita!

- Chega! Estou farta! Fica aí que vou desaparecer para não te aturar mais! Não nasci para isto!

 

O resto eu não me recordo!

Desde que vim para o Alentejo que não voltara a ter uma crise. Daquelas que chegam de rompante, sem sintomas prévios…

Até abandonei a medicação.

 

Quem estava na praça diz que voei e só não a matei porque rapidamente acudiram à porradaria.

 

Da urgência passei para a enfermaria da psiquiatria e aqui continuo.

O psiquiatra chamou-lhe detonador.

Numa das nossas sessões, revelei que as palavras da D. Mariana foram iguais às últimas que ouvi da minha mãe.

Com a diferença que eu chorava por causa de uma otite.

Ela, sem conseguir dormir, levantou-se, vestiu-se e gritou-me:

-  Chega! Estou farta! Fica aí que vou desaparecer para não te aturar mais! Não nasci para isto!

 

 Não regressou.

Mas as suas palavras ficaram para sempre comigo, apesar de me garantirem que fugiu com um namorado e não por minha causa.

 

Há mulheres que não nascem para ser mães, só que o descobrem tarde demais.

Os filhos, esses, ficam nascidos. Com demasiado peso para uma infância abandonada.

Muitos deles são clientes de lojas, como a minha.

Outros estão atrás do balcão.

Como eu.

 

Entre uma unidade de psiquiatria e uma loja não há grande diferença, garanto!

 Qualquer um lá pode frequentar.

Até porque a doença mental nunca precisou de convite para trespassar qualquer porta.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.