Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A 3ª face

Qui | 04.07.19

Missão Possível: reduzir o plástico #2

A 3ª face
  Trocar o plástico por alumínio?     A folha de alumínio é um material que pode ser reciclado indefinidamente. A sua versatilidade permite tantos usos que é difícil enumerá-los: é usado na culinária, em limpeza de panelas e utensílios de metal, na tábua de engomar para potenciar o  calor, como refractário no churrascos e até para "acrescentar" pilhas, quando não temos as de tamanho ideal.   O  uso mais improvável que lhe dou é para afiar tesouras -sobretudo a de (...)
Qua | 03.07.19

Missão Possível: reduzir o plástico #1

A 3ª face
  O plástico é fenomenal! Essa é que é essa. E é preciso reconhecê-lo. O plástico não é nosso inimigo, antes pelo contrário. Foi um avanço tecnológico enorme, responsável pela melhoria das condições higieno-sanitárias, tecnológicas e da nossa qualidade de vida, em geral.   O inimigo somos nós, que fazemos uso indevido e abusivo deste material e transformámo-lo no monstro que nos está a engolir! O ideal será reservar o plástico para o imprescindível e uso duradouro (...)
Ter | 02.07.19

Plastic Free July: o movimento para reduzir o plástico descartável

A 3ª face
Plastic Free July é um movimento internacional que pretende envolver as pessoas na solução para a poluição causada pelo plástico.   Julho é, assim, o mês em que se pretende consciencializar para a mudança de comportamentos, avançando com ideias e recursos para reduzir o plástico descartável do nosso quotidiano.   A verdade, é que todos nos habituámos às facilidades do plástico "de um só uso", responsável (...)
Seg | 25.02.19

Por um carnaval que ninguém leva a mal (dicas ecológicas)

A 3ª face
  E para os foliões, está a chegar a melhor época do ano. As brincadeiras, os desfiles e os bailes de máscara começam a surgir por todo o país. E com eles as serpentinas, os confetis, as maquilhagens brilhantes, as máscaras originais...e o lixo que fica no final.   Desculpem contrariar o ditado mas... o Planeta leva a mal. Nas ruas acumulam-se toneladas de papel, garrafas e copos de plástico. Máscaras partidas, adereços abandonados. Pelo esgoto escorre a água misturada com o (...)
Qua | 16.01.19

O Antropocentrismo moderno

A 3ª face
  Eu também não compreendo porque é que   quando destruímos algo criado pelo Homem lhe chamamos "vandalismo" mas quando destruímos algo criado pela natureza lhe chamamos progresso...   Afinal, o planeta é a nossa casa.  É grande, de facto. Mas só temos esta. E ainda não encontrámos forma do nosso dinheiro comprar uma "segunda habitação", ainda que em time-sharing...      
Qui | 16.08.18

Sobre a coerência

A 3ª face
  Até ao próximo dia 8 de Outubro, está patente, no MAAT, a exposição "Eco-Visionários":  Na primeira colaboração do MAAT com vários museus europeus, o projeto Eco-Visionários: Arte, Arquitetura após o Antropoceno centra-se em práticas correntes que propõem visões críticas e criativas face às transformações ambientais que afetam o planeta. Num momento em que as alterações climáticas se fazem sentir de modo mais premente, Eco-Visionários lança o debate sobre (...)
Ter | 31.07.18

Free plastic July: também é preciso falar sobre o plástico que não se vê

A 3ª face
 Julho é o mês livre de  plástico. Várias iniciativas mundiais visaram sensibilizar a opinião pública para a diminuição do consumo de plástico, sobretudo o descartável. Todavia, não quero fechar o mês sem falar no plástico invisível: aquele que não se vê e que ignoramos. Mas que não deixa de ser menos grave. Até porque é o responsável pela contaminação dos nossos alimentos…   Se olharmos com atenção, iremos reparar que a maior parte das nossas roupas são (...)
Seg | 23.07.18

Há mar e mar…há plástico a ir e a voltar

A 3ª face
  Hoje olhei par a televisão e descobri que o plástico chegou ao paraíso. As praias de sonho em que normalmente se vê areia branca e água transparente, transformaram-se numa lixeira ondulante. Retro-escavadoras  estão a retirar toneladas de plástico por dia, sem que se veja a diminuição dos detritos. Quem sabe se algumas garrafinhas de água que ali estão não são aquelas que abandonámos no areal, no ano passado? E quem sabe, se por graça das marés, não seja este o (...)