Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A 3ª face

Ter | 11.09.18

Universitários a peso de ouro

estudante universitario.jpg

 

Provavelmente, o segundo tema mais debatido em Portugal durante esta semana é o preço do alojamento para estudantes universitários.

(O primeiro é, obviamente, as eleições no Sporting.)

Os preços astronómicos que estão a ser pedidos nas principais cidades começam a impedir o acesso dos alunos ao ensino superior.

 

Eu sinto isso na pele e não sou dos casos graves.

Felizmente, consigo ir suportando os gastos da minha filha, a estudar em Lisboa, sem passar fome.

Mas não é fácil.

 

- O quarto aumentou 30 € este mês, passou a custar 350,00 € (não me perguntem pelo recibo, ok?)

- As propinas rondam 120 €/mês.

- Transportes: 30 € (que já inclui carregamento de cartão e viagens para casa, quando não consegue boleia)

- Mesada para alimentação e despesas: 200 € (em início de semestre requer reforço para livros e fotocópias).

Vamos a contas?

350 + 120 + 30 + 200 = 700 €

 

O Salário Mínimo Nacional actual é de 580,00 €

O salário médio mensal, em 2017, em Portugal, foi calculado em 846 €.

 

Podem falar nas bolsas de estudo. É verdade que ajudam.

Podem falar no alojamento universitário, que acredito ser totalmente ocupado pelos bolseiros com rendimentos abaixo ou no limiar da pobreza.

 

Expliquem-me como é que uma família da classe média, com rendimentos acima do limite para acesso a bolsa de estudo mas com um rendimento próximo do salário médio mensal, consegue suportar um filho (ou dois) no ensino superior, quando deslocado de casa…

 

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Helena Duque 12.09.2018 14:23

    Aplaudo tanto o post como o comentário da cara Desalinhada. Ser estudante universitário em Portugal não é fácil... eu estive 3 anos em Coimbra, com um grande sacrificio feito pelos meus pais, o qual eu aprecio muito e faço de tudo para os deixar orgulhosos. Também porque sei o que custa que decidi que não queria fazer metrado uma vez mais às custas deles, mas tirá-lo por mim própria (ou seja, agora vou trabalhar) e depois logo se verá no futuro.

    Eu tenho uma diferença de 8 anos da minha irmã mais velha e desde sempre que oiço a minha mãe dizer "sempre quis que tivessem mais diferença porque não vos poderia dar o que dei se fossem as duas pequenas"...
  • Imagem de perfil

    A 3ª face 12.09.2018 15:52

    A tua mãe é uma sábia. Pensou muito à frente.
    Os meus também têm diferença suficiente para não os juntar na universidade mas não foi propositado. E ainda bem que aconteceu assim, por mim e por eles.

    Eu sou filha única mas também estudei com o sacrifício dos meus pais (e meu).
    Quando terminei fui trabalhar e só depois fiz mestrado (a parte má, é que durante o mestrado me nasceu a minha princesa. Ainda assim, a trabalhar e a ser mãe pela primeira vez, consegui ter Muito Bom na tese).

    Felicidades para o teu futuro.
  • Imagem de perfil

    Helena Duque 12.09.2018 17:44

    Pois foi! E o melhor é que todos nós temos uma vida mais confortável agora, felizmente.

    Muitas felicidades e obrigada
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.